sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Danza





No ritmo da música



... é a vida!



É assim mesmo que estou com vontade de dançar,



... uma lerdeza de quem



não está nem aí.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Pensei fosse um pirata!


Tudo começou final de outubro do ano de 200?. Foi assim ... Descobri um tal de skype. Um instrumento hábil e um meio fácil de economizar nos telefonemas DDD. Não parou aí ... não tinha muita desenvoltura, ainda, no sistema, quando começou a pipocar vários telefonemas ... o mundo ... dentro da minha casa! Os países pertinho ... descobri o tradutor on line, acreditam? Sabe, foi de repente, aquela voz ... timbre grosso, forte, ..., estrangeiríssimo, ..., pouco falava, monossilábico. Muito autoritário e não admitia réplica, muito menos tréplica. Foi aí que começou tudo ... A princípio pensei fosse um terrorista ... não, não estava claro ... as vezes parecia herói! De repente ... uma brigada ... poderia ser um sobrevivente da Grande Guerra... ledo engano. Talvez um contrabandista ... viajava muito a trabalho ... andava na selva... no mar ... talvez um pirata ... o mar seu tema preferido ... tudo se encaixava ... dias ... meses ... já aniversariou ... me sinto observada ... será imaginação ... mas pirata com toda certeza não é, mas de repente ...

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Descobri que não sou cinderela e que não existe príncipe encantado.


Contava uns quatro anos, não mais, já estava na escola e era muito esperta, extrovertida e metida. As professoras conversavam entre si quando fui desperta dos meus afazeres por uma frase dita: " - poderia haver uma representação pelas crianças da história da Cinderela". Foi o bastante. Começou aí... Decidi que eu seria a Cinderela. Já me sentia a Cinderela, com roupas esfoaçantes, e lógico, tinha que ter um príncipe encantado. Sonhei ... Mas o sonho começou a tomar corpo, talvez um vestido rosa, bem rodado, sapatilhas brancas, ... perguntava sempre para professora que me respondia ... vagamente um talvez ... mas para mim já era certo ter o teatro e eu iria ser a Cinderela, não poderia ser outra. Falei com a mamãe com tal convicção que teria que fazer o vestido para a peça que, vocês não vão acreditar, ganhei o vestido rosa. Não parou por aí. Levei para escola. ... Advinharam ... descobri que não era a cinderela e não existia um príncipe encantado, muito menos foi avante o teatrinho para esse tema. Não fiquem tristes, em uma outra oportunidade conto que eu fui flor em um jardim